sábado, 13 de agosto de 2011

2ª série dos planos (XIX)


I / II / III / IV / V / VI / VII / VIII / IX / X / XI / XII / XIII / XIV / XV / XVI / XVII / XVIII


De vez em quando, convido bloggers a escolher um plano e a falar, também, sobre ele. Ao contrário do anunciado no último post dos planos, o décimo nono convidado é o Ricardo Martins, do A Mente de Ricardo Martins, que escolheu o plano do beijo desta cena de Vertigo, de Alfred Hitchcock:




"Escolher um plano favorito é uma tarefa difícil numa História de Cinema rica em momentos que me emocionaram, ao longo dos anos - poderia ser a criação do andróide em Metropolis, a cena final do beginning of a beautiful friendship de Casablanca, ou o momento tenso da destruição da Estrela da Morte, em Star Wars.


Mas creio que o momento que me é mais querido, e que me diz mais pessoalmente (por razões várias que agora não vou discorrer), é o de uma cena quase sobrenatural num mistério de Hitchcock, Vertigo (1958) - trata-se do ressurgir dos mortos de Madeleine (interpretado brilhantemente por Kim Novak, que dá um novo significado à palavra sensualidade) face ao êxtase de Scottie (James Stewart, no papel mais visceral da sua carreira).


Ele beija-a apaixonadamente e vemos um travelling circular em torno deles. Ora, o que na maior parte dos filmes não passaria de um dispositivo fácil para dar ênfase a um encontro amoroso, aqui esse movimento de câmara adquire toda uma proporção metafísica, um autêntico desafio à morte, sendo que Scottie revê ante os olhos dele (e os nossos!) o momento em que beijou a amada falecida pela última vez nos estábulos.


A capacidade do cinema poder mudar as nossas ideias e as nossas emoções está plenamente condensada neste poderoso momento vindo da mente de um dos maiores realizadores que pisaram a face da terra - Alfred Hitchcock."


O próximo convidado é o Diogo F.

Nenhum comentário: